domingo, maio 06, 2012

"Cheio de Ki" blog





Você tem dificuldade em entender como funciona um moinho de vento? Ou como água vira vapor? Ou porque algo queima quando fica muito quente?
Você pode até não saber aquelas fórmulas e cálculos da aula de física, mas sabe mais ou menos como o trem funciona e o que há de comum neles todos, não?
Pois é, energia.
Então, por que raios mistificar a palavra japonesa “Ki”? Pois é basicamente o que ela significa.
Nós ocidentais costumamos ter certa dificuldade pra entender termos japoneses (orientais em geral na verdade) e, a maneira japonesa de se expressar acaba dificultando o nosso entendimento também. No caso do “Ki”, levamos o troço pra um nível esotérico, místico e imaginamos ser uma energia interna que nos faz soltar Hadoukens, ou algo como a Força em “Star Wars”. Nos parece um termo que só é utilizado por algum coroa igual ao Pai Mei, isolado em alguma montanha no lugar mais isolado, mas na verdade é um termo bem comum.
Por exemplo: 磁気 (JIKI) , nos remete ao magnetismo. 電気 (Denki), nada mais é que a nossa boa e velha eletricidade.  Também pode ser utilizado como um cumprimento, do tipo : おげんきですか? (Ogenki desuka?), traduzido como “Você está bem?”, mas que literalmente é algo como “Sua energia está equilibrada?”.
“Ah, olha aí dizendo que a energia está equilibrada! Certeza que tem algo a ver com a força mística que todos nós temos!!!”
Isso se você ignorar completamente o que são expressões idiomáticas e o que raios significa o kanji KI.



Forçando muito a barra (lembre-se que o nosso alfabeto também é bem idiota pra eles), esse kanji é um desenho de arroz em uma panela liberando vapor. Ou seja, ENERGIA, no caso, termal. Pensando um pouco mais abertamente, a energia liberada pelo alimento dentro do corpo, por exemplo. Ou seja, nada de místico, esotérico ou afins. Pode até ter havido no passado essa conotação, afinal, não se conhecia o conceito de energia. Até aí, nós ocidentais tínhamos a Teoria Humoral.
Como eu disse antes, nós ocidentais temos essa mania de mistificar termos orientais. Por exemplo, racha-se a cabeça pra entender o que é deai, maai e aiki. Parece coisa que só alguém como o Pai Mei entenderia. No fim das contas são, respectivamente timming, noção de distância e adaptação ao momentum.
Ou seja, não há nada de complicado no tal do Ki. É simplesmente energia. “Ah, mas meu mestre oriental nunca soube explicar direito o que é Ki”. Raios, você sabe explicar direitinho o que é energia? É bem por aí.