quinta-feira, maio 16, 2013

Milenar Blog


  Definição de “milenar” no Michaelis: adj (lat millenariu) 1 Que diz respeito ao milhar. 2 Que contém mil. 3 Que tem mil anos; milenar. sm 1 Espaço de mil anos.



Dada a definição, dou início ao meu texto aleatório com algo que observei: As pessoas tendem a achar que “milenar” é sinônimo pra algo oriental com mais de 40 anos, principalmente se for relacionado às artes marciais. Sempre escuto alguém falar “a milenar arte do taekwondo” ou “o milenar Judo” e similares e fico me perguntando de onde eles tiraram isso.

A grande maioria das artes marciais praticadas hoje em dia é mais recente do que a  maioria das pessoas consegue imaginar.  Vejamos uns exemplos:

Aikido – Morihei Ueshiba começou a desenvolver o que hoje chamamos de Aikido nos anos 30. Há quem force a barra citando o Daitō-ryū Aiki-jūjutsu, arte que Ueshiba treinou, pra validar a “milenaridade”.  Só que Sokaku Takeda fundou este sistema no século XIX. Ou seja, não tem mil anos.

Karate – Desenvolvido em Okinawa (que era um reino, e agora faz parte do Japão, mas isso fica pra algum texto futuro. Ou não) e seus registros mais antigos datam do século XIV, quando Okinawa iniciou relações comerciais com a China (Sim, originalmente karate significa “Mão chinesa”). Mais de 500 anos, forçando a barra. Menos de 1000. Não é milenar.

Taekwondo – Fundado em 1955 na Coréia. Há quem force a barra falando das antigas artes coreanas, mas o taekwondo é basicamente karate. Inicialmente, hoje já tem vida própria. Mas longe de ter 1000 anos.

Muay Thai – Registros levam até, no máximo, ao século XV. Se forçarem a barra com o Muay Boran, aí vira milenar.

Judo – Criado em 1822 por Jigoro Kano. Podem forçar a barra com os estilos de jujutsu que ele treinou, mas mesmo assim ganha no máximo uns 400 anos. Não é milenar.

Hapkido – Veio do Aikido, e não do Daitō-ryū Aiki-jūjutsu como eles gostam de dizer. De qualquer forma, não seria milenar.

Kendo – Suas raízes datam no máximo ao século XVII, mas formalizado como está hoje, data dos anos 20. É um gendai budo, ou seja, arte marcial moderna. Não é milenar.

Kung-fu  - Termo genérico pras artes marciais chinesas. Dependendo do sistema pode ser milenar ou não.

Capoeira – Porra, o Brasil não tem 1000 anos.

Boxe – Olha, surpreendam-se. Seus registros datam de 688 AC. Milenar até o talo.


Mas a grande doidera vem do Brazilian Jiu-jitsu. Seus praticantes vem com o papo de era uma arte praticada por monges indianos. Isso explicaria o nome num Japonês errado.  E seria uma cena curiosa ver os mongezinhos indianos puxando o adversário pra guarda, passando o carro e finalizando. Mas não, é lorota. Há quem diga que ainda por cima foi dividido em Karate (socos e chutes), Judo (projeções) e Aikido (torções), e que só o Brazilian Jiu-jitsu é completo. Burrice, só isso. A bem da verdade os irmãos Gracie aprenderam o sistema com Mitsuyo Maeda, aluno de Jigoro Kano e Tsunejiro Tomita, da Kodokan. Ou seja, é Judo. “Mas por que se chama jiu jitsu?”. Porque na época o Judo se chamava “Kano ryu jujutsu”. Aí, sei lá, Carlos Gracie ouviu errado e entendeu “Jiu jitsu”. Não tenho culpa se ele não limpava os ouvidos.

Ainda quero entender essa fascinação em dizer que o sistema que você treina é milenar. E mais, há quem tenha orgulho em dizer que o tal sistema está inalterado há mais de sei lá quantos séculos. Não consigo compreender. Peguemos como exemplo o Boxe, que é, de longe, o mais antigo. Evolui constantemente. Pegue um vídeo de lutas antigas, dos anos 50, por exemplo. Mantém-se a “essência”, mas é mais do que nítida a mudança. E um pugilista não se orgulha de socar como um pugilista dos anos 50 socava, ele não está nem aí pra isso. E noto esse orgulho sem sentido na maioria dos sistemas marciais que se orgulham de ser milenares sem ser.


Errata:
Como explicou o sifu Marco Rodrigues:

"Vale lembrar que não existe nenhum estilo atual de Kung Fu milenar. As escolas de punho só apareceram em 1600. Mesmo o Shuai Jiao não possui uma linhagem definida. O que por ser também um termo genérico para técnicas de arremesso, consequentemente abrangendo métodos diferenciados, então seriam artes marciais diferentes com o mesmo nome. O que não é de maneira alguma um fato isolado na China, ocorre até hoje."