sábado, fevereiro 18, 2006

Cinematográfico blog

Cinematográfico blog...

Ontem fui ao cinema com Vanessa, a amada, para a estréia de "A pantera cor-de-rosa". Hilário, porém um pouco abaixo dos estrelados por Peter Sellers. Não, a culpa não é de Steve Martin, aliás, ótimo como o inspetor Closeau, e mais por culpa do roteiro, muito aquém da série clássica.
Martin manteve bem o papel de Closeau, mantendo o sotaque utilizado por Sellers mas sem que sua interpretação fosse uma imitação. Não havia o Kato e, por consequência, não haviam as hilárias cenas de luta no apartamento do inspetor. Porém, haviam Jean Reno, ótimo, no papel de Ponton, "assistente" de Closeau e Kevin Kline, perfeito, como o inspetor-chefe Dreyfuss.
Salvaram-se os personagens, que mereciam um roteiro digno deles. Mas devo dizer que a cena do globo terrestre, que foi uma homenagem ao filme original, a cena da aula de sotaque americano, a cena do Viagra e a cena onde Closeau e Ponton tem que "provar" que são dançarinos da cantora Xania ( a tal da Beyoncee) já valeram o ingresso, sem sombra de dúvidas.
Mas, depois de anos, percebi a razão de eu tanto gostar de Closeau. Além de ser um ótimo personagem, notei algumas semelhanças comigo, como, por exemplo, achar que está fazendo tudo certo e na verdade estar mais perdido do que cego em tiroteio. Isso sem falar que sou quase tão inoportuno quanto ele e também nunca soube como lidar direito com as mulheres. Felizmente Vanessa, a amada, é uma ótima professora.
Pensando nessas particularidades em comum com Closeau, comecei a ver que tenho algumas características de outros personagens que eu gosto muito. Vai ver é por isso que gostamos de alguns personagens, pelo fato de, de alguma forma, nos identificarmos com eles ou querermos de alguma forma ser como eles. Dá uma ohada nos meus personagens favoritos e similaridades que tenho com eles:

-Garfield: Mal-humor e sarcasmo crônicos.
-Conan, o bárbaro: São tão delicado quanto.
-Musashi: Sou tão vidrado nos treinos de artes marciais quanto ele, mas tomo banho.
-Recruta Zero: Preguiça crônica
-Charlie Brown: Ah, o otimismo e a auto-estima!
-Urso Fowzy, dos Muppets: Ótimas piadas como as dele.
-Shreck: Razões óbvias, tão ogro quanto.
-Peter Parker, o homem-aranha: Tão azarado e duro quanto, e com uma namorada tão gostosa quanto (uhuuuuu).

E vocês, queridos 4 leitores, tem algum ou alguns personagens com os quais se identificam?

sábado, fevereiro 04, 2006

Confuso Blog...

Confuso Blog...

Dia desses eu estava andando aqui por Vigário Geral, quando um carro passou pela rua com o som ligado no máximo. Obviamente era funk tocando.
Num outro dia, passou na televisão uma reportagem sobre uma praia nudista. A maioria esmagadora dos freqüentadores tinha o corpo bem caído.
Observando esses 2 fenômenos da natureza humana, comecei a realizar complicados estudos sobre Antropologia, Sociologia, Biomedicina, Psicologia, Arquivologia e Ciências Atuariais... e descobri que, o ser humano adora mostrar o que não é bonito ( palmas!!!)
Podem notar.... o que é o programa do Ratinho? Só mostra desgraça e gente feia.
O que dá mais audiência nos noticiários? Desgraça.
Qual o tipo de música que as pessoas colocam pra tocar no carro no maior volume? Funk ou pagode.
Que tipo de gente freqüenta praia de nudismo? Ou é velho ou é gordo.
Não tenho nada contra velhos, gordos ou coisas afim... mas me intriga o fato de pessoas saradas, que malham exatamente pra terum corpo bonito e desejável, não terem o hábito de ir em praias de nudismo. Eu, por exemplo, não sou sarado. Mas tenho vontade de ir em uma praia de nudismo, o que me encaixa na pesquisa.
Outro exemplo, pessoas que escutam música clássica. Você não as vê colocando o volume do rádio no carro ao tocar Wagner, por exemplo. Mas aposto que já viu algum carro com um aparelho de som mais caro que o próprio veículo tocando pagode/funk/axé/Callypso/Sertanejo na maior altura. Eu prefiro colocar Led Zeppelin, mas isso não vem ao caso.
Aliás, isso me fez lembrar de uma frase:

Quem diz que rock é música do Diabo, é porque não sabe o inferno que é ouvir pagode e funk.

Pensem nisso.