Pular para o conteúdo principal

Confuso Blog...

Confuso Blog...

Dia desses eu estava andando aqui por Vigário Geral, quando um carro passou pela rua com o som ligado no máximo. Obviamente era funk tocando.
Num outro dia, passou na televisão uma reportagem sobre uma praia nudista. A maioria esmagadora dos freqüentadores tinha o corpo bem caído.
Observando esses 2 fenômenos da natureza humana, comecei a realizar complicados estudos sobre Antropologia, Sociologia, Biomedicina, Psicologia, Arquivologia e Ciências Atuariais... e descobri que, o ser humano adora mostrar o que não é bonito ( palmas!!!)
Podem notar.... o que é o programa do Ratinho? Só mostra desgraça e gente feia.
O que dá mais audiência nos noticiários? Desgraça.
Qual o tipo de música que as pessoas colocam pra tocar no carro no maior volume? Funk ou pagode.
Que tipo de gente freqüenta praia de nudismo? Ou é velho ou é gordo.
Não tenho nada contra velhos, gordos ou coisas afim... mas me intriga o fato de pessoas saradas, que malham exatamente pra terum corpo bonito e desejável, não terem o hábito de ir em praias de nudismo. Eu, por exemplo, não sou sarado. Mas tenho vontade de ir em uma praia de nudismo, o que me encaixa na pesquisa.
Outro exemplo, pessoas que escutam música clássica. Você não as vê colocando o volume do rádio no carro ao tocar Wagner, por exemplo. Mas aposto que já viu algum carro com um aparelho de som mais caro que o próprio veículo tocando pagode/funk/axé/Callypso/Sertanejo na maior altura. Eu prefiro colocar Led Zeppelin, mas isso não vem ao caso.
Aliás, isso me fez lembrar de uma frase:

Quem diz que rock é música do Diabo, é porque não sabe o inferno que é ouvir pagode e funk.

Pensem nisso.

Comentários

  1. Samu sabe qual é o problema? A grande massa brasileira é BURRA, digo isso pq musicas boas SEMPRE existiram e SEMPRE teve ao alcance de todos, desde o mais podre até o mais rico... O problema é que essa gente adora uma desgraça alheia, adora uma baixaria, um bacanal então funk, desgraça na TV tem aos montes... Sempre digo que nasci no país errado pq por mim eu jogava uma bomba em tudo isso.
    Sábado mesmo, fui em um show de uma banda cover dos Beatles simplesmente sensacional, aquilo sim é musica aos ouvidos e percebi algo mais: o povo que estava lá eram extremamente civilizados, pq será né?

    ResponderExcluir
  2. Isso é verdade.

    É triste perceber a realidade que nos cerca: o povo brasileiro adora uma apelação, seja para aparecer, chamar atenção ou, simplesmente, não ter noção do ridiculo!

    É fogo, mas enfim... o jeito é se unir aos poucos civilizados que ainda restam!

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Isso se deve tbem ao fato de os maus cantores preferirem o funk e o pagode. O mesmo vale pra compositores. Dá no que ná né....

    ResponderExcluir
  4. ADOREI!!!! hahahahaha e concordo com vc em gênero, número e grau... e outra coisa... vc ja reparou que quem poe piercing na barriga, ou usa ela de fora são as gordinhas??? hehehehehe

    ResponderExcluir
  5. Interessante esse seu post.
    Concordo que o que é bom, o "homem" despreza, ou ridiculariza.
    Mas se você ver por outro lado, nem todos gostam da mesma coisa, eu odeio axé, mas tem que ama, odeio funk, mas tem quem só curte isso.
    Não é desprezando o Rio de Janeiro, mas a onda funk sempre começa por aí. Por causa dos morros, favelas, etc, essa é a música que chega com mais facilidade à população. Vê só se me entende: quero dizer que é a música que fala a gíria do povão, com palavrões, palavras erradas, baixaria, etc.
    Eu mesmo sou um cara com um gosto musical muito extenso, gosto de tudo um pouco, mas tem que ser "boa" música. Música "tocada" e não arranhada.
    Como vc, curto Led, curto tb U2, Tina, Elvis, Yanni, Ernesto Cortazar, Legião, Zé Ramalho, etc... muitos outros...

    Mas vai ter alguém que vai me criticar e dizer que Zé Ramalho é lixo, que U2, Led, é gritaria ou que é inglês e Brasileiro tem que saber o que tá cantando, etc, etc.

    Por isso repito o que disse aqui, no começo, gosto é gosto, por mais ruim que seja...mas que Brasileiro adora os ruins, isso adora...

    ResponderExcluir
  6. Anônimo6:40 AM

    Very nice site! » »

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os 47 ronin, parte 2: A hora da vingança.

Como dito no post anterior,  o daimyo Asano Naganori se viu obrigado a realizar o seppuku por ter ferido um superior no palácio do Shogun.
Tal notícia foi levada para Oishi Kuranosuke Yoshio, conselheiro de Asano, que assumiu o comando e levou a família Asano para longe, antes de cumprir as ordens do Shogunato e entregar o palácio e o feudo para agentes governamentais.
Dos mais de 300 homens de  Asano, 45, junto com o líder Oishi, recusaram-se a permitir que o seu senhor não fosse vingado, embora o Shogunato houvesse proibido a vingança nesse caso. Sim, haviam casos em que a vingança era tolerada.
Eles se uniram, fazendo um juramento secreto para vingar seu mestre matando o vacilão do Kira, mesmo sabendo que seriam punidos severamente por isso.
Só que o Kira tava bem guardado, e sua residência tinha sido fortificada e a segurança reforçada pois todo mundo sabia que os samurai eram meio doidos. Os ronin perceberam que teriam que esperar a poeira baixar antes que pudessem ter uma peque…

"Cheio de Ki" blog

Você tem dificuldade em entender como funciona um moinho de vento? Ou como água vira vapor? Ou porque algo queima quando fica muito quente? Você pode até não saber aquelas fórmulas e cálculos da aula de física, mas sabe mais ou menos como o trem funciona e o que há de comum neles todos, não? Pois é, energia. Então, por que raios mistificar a palavra japonesa “Ki”? Pois é basicamente o que ela significa. Nós ocidentais costumamos ter certa dificuldade pra entender termos japoneses (orientais em geral na verdade) e, a maneira japonesa de se expressar acaba dificultando o nosso entendimento também. No caso do “Ki”, levamos o troço pra um nível esotérico, místico e imaginamos ser uma energia interna que nos faz soltar Hadoukens, ou algo como a Força em “Star Wars”. Nos parece um termo que só é utilizado por algum coroa igual ao Pai Mei, isolado em alguma montanha no lugar mais isolado, mas na verdade é um termo bem comum. Por exemplo: 磁気 (JIKI) , nos remete ao magnetismo. 電気 (Denki),…

Natalino Blog

Então, é Natal. Época de paz, confraternização, respeito, religiosidade, harmonia, solidariedade e muitas outras palavras bonitas. Resumindo, é epóca de hipocrisia.
Não, eu não sou contra o Natal e não, não sou contra as pessoas serem pacíficas, fraternais, respeitosas, religiosas, harmônicas, solidárias e outros adjetivos bonitos. Mas seria interessante se fossem assim o ano todo.
Mas o meu problema com Natal é outro. Meu problema com o Natal se resume simplesmente à atmosfera natalina. Minha dúvida é: Todo maldito lugar tem que ficar tocando música natalina????
Porra, eu juro que não aguento mais musiquinha de harpa, "Jingle bells" em ritmo de gospel music, Simone cantando música natalina, malditos brinquedinhos chineses tocando a mesma música em todos os camelôs... além da decoração. Juro que não aguento ver mais pinheiros, sininhos e guirlandas. Aliás, pra quem é alto esse problema fica ainda pior, pois toda hora damos uma cabeçada em alguma guirlanda. Aliás, uma dúvida que…