Pular para o conteúdo principal

Olhos de lobo

Meus olhos dourados de lobo podem ver

Tudo que você esconde de mim.

Nenhum segredo está a salvo

Por direito eu declaro.

Quando a vejo como minha presa

Lhe asseguro que não existe maneira

de escapar de mim.

Morte é seu destino.

Nunca me desafie, a não ser que queira morrer

Uma precoce, e muito dolorosa morte;

Jamais confie no suave suspiro do vento

Pois é com ele que seu odor me é legado.

Quando ouvir o uivo do lobo,

então é hora de se esconder.

pois mesmo que consiga ocultar o medo

Meus olhos dourados de lobo podem ver seu coração

Comentários

  1. Gostei.

    Blog muito lega, continue atualizando.


    http://ccdodia.blogspot.com/

    Entra e comenta lá

    abraço

    ResponderExcluir
  2. seu blog eh bom (apesar d eu não ter entendido direito essa poesia =P)

    eu gostei do post da reforma ortográfica, eu concordo absolutamente

    parabéns e continue assim

    ResponderExcluir
  3. Anônimo8:24 PM

    Bela poesia. O nome do blog. Vc escolheu muito bem!
    Obrigado pela vsita e pelo comentario.
    Abrcs

    http://acordesdeumavida.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. foi vc mesmo q fez isso cara??????

    ResponderExcluir
  5. é uma metáfora, muito boa por sinal...

    http://messnatural.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Dominador de coração
    Denominador de medos românticos
    Domador das feras sentimentais.

    Parabéns

    ResponderExcluir
  7. "Nunca me desafie, a não ser que queira morrer"

    sinistro

    gostei! Continua escrevendo

    abraços

    passa lá e se gostar assine meu feed
    www.som10.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. eu fiquei foi com medo de vc! aff
    mas há mesmo uma identificação sua com o lobo?

    ResponderExcluir
  9. bela poesia apezar de não rimar
    http://computakipiada.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Sucesso sempre!
    Continue postando!

    http://rascunhosdeandreavaz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Anônimo11:54 PM

    bem objetivo o texto, apesar de eu nao gostar do tipo.

    ResponderExcluir
  12. Parabén pelo blog, serei leitora assídua.
    Continue escrevendo belos poemas. Bom domingo!

    ResponderExcluir
  13. Parabén pelo blog, serei leitora assídua.
    Continue escrevendo belos poemas. Bom domingo!

    ResponderExcluir
  14. Anônimo11:14 AM

    Nunca me desafie, a não ser que queira morrer,
    uma precoce e muito dolorosa morte.

    - Com essa você tocou, como se.. sei lá.. integridade de lobo, atitudes de lobo, características de lobo.. olhos dos mesmos.

    Bom poema, digo poema porque senti um enredo, você descreveu os minutos finais de uma presa.. muito bom.

    (gostei do comentário.. só basta querer..)

    ResponderExcluir
  15. cara...eu gostei do texto, mas eu entendo o pessoal q comenta só: "bom blog"...como q vou comentar um texto desses é algo subjetivo, né?!
    mas gostei...=P

    --
    www.moolegal.wordpress.com

    ResponderExcluir
  16. A relação dos olhos que é algo sensível, com a braviedade do lobo tão animalesco: dá um tom legal aos versos.

    ResponderExcluir
  17. Eu sou suspeita pra falar...
    Mas adoro o seu texto e esse do Lobo foi muito bem construído...
    E.. Hum... me faz arrepiar!

    ;D

    ResponderExcluir
  18. Bom poema! Vc escreveu com propriedade sobre a morte. Parabéns!

    Sucesso sempre!

    Aguardo sua visita:
    http://rascunhosdeandreavaz.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. E a Chapeuzinho Vermelho e o s3 porquinhos saem correndo que nem loucos ao lerem esse post...
    heuehehuehueheuheuhe

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Limítrofe Blog.

Você acorda cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe e você quer um pouco de silêncio em sua vida pois no seu trabalho o telefone toca o tempo todo e em casa você tem vizinhos ouvindo música alta o tempo todo e na frente de casa tem uma porra de um lanterneiro.

E todo o dia a mesma coisa. E todo dia é o Dia da Marmota.

Você já nem aguenta mais ouvir seu n…

Dupliplusbom Blog

De uns tempos pra cá, por algum motivo que desconheço, uma galerinha "dubem" passou a querer controlar o que você diz, faz ou pensa. Tudo isso em nome da bondade, respeito e pluralidade. Oprimem contra a opressão. Censuram pela liberdade. Fazem malabarismos lógicos para taxar como ditaduras aquilo que não gostam e chamar de democracia ditaduras descaradas que compartilham de sua ideologia.

 Quem já leu o romance “1984” de George Orwell vai entender de cara essa questão. Essa galerinha "dubem" utiliza de duas ferramentas linguísticas que Orwell descreveu muito bem em sua distopia: duplipensamento e novilíngua. Basicamente, essas ferramentas visam moldar o pensamento a partir da mentalidade revolucionária e limitar a capacidade de comunicação e expressão dos indivíduos, transformando-os em meros robôs. 
O duplipensamento é o ato de aceitar simultaneamente duas crenças mutualmente contraditórias como corretas. Parece com hipocrisia, mas na verdade a pessoa REALMENTE acr…

Rockinriozístico Blog, parte 1

Ontem fui novamente ao Rock in Rio. Falem o que quiser, mas eu gosto desse programa de índio. E dessa vez o transporte foi até bem facilitado (NADA que se compare ao de 2001, com seus ônibus saindo de inúmeras partes da cidade, incluindo Vigário Geral), não sendo um grande inferno como o de 2013.

Basicamente descemos quase em frente à entrada, num terminal do BRT. Apesar da grande quantidade de pessoas, o fluxo seguia normal. 

A entrada em si demorou, pois havia uma fila pra já garantir a passagem do BRT na volta, a fila da revista e a da bilheteria, mas não foi nenhum absurdo. Demorava mais desviar das inúmeras selfies sendo tiradas. 

Havia, por alguma razão, uma área dedicada aos games e afins, com alguns cosplayers. E nunca escondi meu desprezo por esse tipo. 

Havia muita gente com camiseta do Rock in Rio. No Rock in Rio. Fiquei imaginando que seria um tipo de abadá pra uma micareta. 

Havia uma galera com roupa tipo de motoqueiro americano. Ou aquela galera parecendo punk. Ou metaleiro…