Pular para o conteúdo principal

Futebolístico Blog




Essa semana lembrei que detesto futebol.



Ver torcedores de um time, que está afundado na merda e sendo rebaixado pela terceira vez, comemorar loucamente a vitória sobre o rival, que é outra grande porcaria, realmente é algo que nunca entrará na minha cabeça.

Esse meu desprezo por esse esporte começou faz tempo na verdade. Pra ser sincero eu nunca gostei muito de esportes por equipe, tirando o vôlei feminino por razões óbvias, mas o futebol sempre teve um destaque por ser o esporte favorito do brasileiro médio e aparecer o tempo todo e todos falarem dele. Em especial passei a detestar o Vice da Gama por ter de conviver com tio e primo vascaídos.

O problema de um brasileiro, em especial um homem cis hétero (é, quis usar essxs termxs diumanas pois os acho hilários), é que a infinita maioria das pessoas acha MUITO estranho que um cidadão nos termos supracitados não curta o esporte bretão. As situações geradas são, no mínimo, curiosas. Por exemplo, as pessoas perguntam com uma naturalidade qual o meu time ( da mesma forma que perguntam o meu signo, como se isso tivesse alguma importância) e olham espantados quando digo que não torço pra nenhum time. Em seguida, perguntam se já assisti a algum jogo. Sim, já assisti. Já fui em estádio assistir jogo quando era criança, levado pelo meu pai e depois por um tio. Adulto, fui assistir ao jogo da final do Pan, times femininos. Nem por isso passei a gostar, fui pelas companhias.

Vez ou outra alguém diz "Ah, você não gosta pois não entende as regras!". Cara, se trata de 22 caras chutando uma bola pra ver quem consegue acertar no meio de um retângulo com uma rede. Não é exatamente Cálculo Avançado.

Outra coisa curiosa é que você acaba aprendendo o básico sobre cultura futebolística pra não ficar de fora da socialização básica. Acaba sabendo que Romário era bom, Pelé era bom, Ronaldo era bom, Garrincha era bom, que Flamenguista é mulambo, que Vasco é uma merda, que Botafogo só tem meia dúzia de torcedores e que o Tricolor é tudo viado. Mas não me pergunte sobre nenhum jogador atual, sobre a escalação do São Cristóvão em 1926 ou qual era a cor da meia do Sócrates em 89.

Mas o que nunca entenderei mesmo é torcer pra um time. Sério, um time nada mais é que uma empresa. Aquele craque do seu time desse ano pode estar te goleando ano que vem. Sério, não faz sentido essa idolatria por um clube. E as pessoas se agridem por isso. A zoação eu entendo, e apoio. Zoar é preciso! Mas se agredir por conta de um clube de futebol? Bicho, não faz sentido.

No final, uma das coisas que mais me faz detestar o futebol é mesmo o torcedor.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Limítrofe Blog.

Você acorda cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe e você quer um pouco de silêncio em sua vida pois no seu trabalho o telefone toca o tempo todo e em casa você tem vizinhos ouvindo música alta o tempo todo e na frente de casa tem uma porra de um lanterneiro.

E todo o dia a mesma coisa. E todo dia é o Dia da Marmota.

Você já nem aguenta mais ouvir seu n…

Coisificado blog

Sabe como é ter realização profissional? Eu não.
Há um certo tempo venho notando que deixei de ser uma pessoa, o Alexandre Santana, e virei o "rapaz do ponto". Sim, eu cuido da frequência no porto do Rio, em especial da Guarda Portuária. É um trabalho. É digno. É honesto. Mas deixei de ser uma pessoa e me tornei um relógio de ponto. Fui coisificado.
Sim. Na maioria dos dias eu mal chego (07:00) e não ouço bom dia e sim um "Ei, o relógio está com defeito!" ou um "Oi, estou com um probleminha aqui no ponto..." e o pior de todos "Olha, vocês me deram falta aqui (sim, eu fui na frequência de um fdp aleatório e taquei falta, claro...)". 
Eu imagino que na maioria dos empregos realmente seja assim e que eu esteja reclamando de barriga cheia. Pode ser. O problema é que não estou lidando com clientes, e sim com pessoas que trabalham na mesma empresa que eu. Com a grande diferença que estou EFETIVAMENTE trabalhando, diferente da grande maioria.
Foda-se, …

Suicida blog

Quero morrer.

Não literalmente. Essa eu aguardo sem muita pressa, mas já sabendo que é inevitável.

É mais uma espécie de "morte figurada", por assim dizer. Aos poucos eu venho matando o Alexandre que foi construído ao longo dos anos e que meio que estacionou. Esse Alexandre já não tem mais muito espaço, esse Alexandre só faz merda e só se afunda.

Esse Alexandre trocou sonhos por segurança. Não que segurança seja ruim, pelo contrário, mas esse Alexandre se acomodou. Muito. Esse Alexandre virou uma pífia sombra daquele Alexandre cheio de sonhos, esperanças e "sangue nos olhos". Sei que aquele Alexandre não volta, ou pode voltar cheio de cicatrizes, mas ESSE Alexandre de hoje em dia precisa morrer.