terça-feira, setembro 09, 2008

Científico Blog

Previsto para começar a operar amanhã (10/09/2008), o maior acelerador de partículas do mundo, ele levou mais de 20 anos para ficar pronto, entre planejamento e construção. Ele está localizado na fronteira entre a Suíça e a França e é uma iniciativa da União Européia com o apoio de outros 85 países, com 8 mil cientistas e engenheiros de diversas partes do globo, inclusive do Brasil.

Ele é feito com imãs supercondutores,(embora McGiver o fizesse com palitos de sorvete, Ki-Suco e mostarda) que mantêm as partículas em órbita, e vai servir pra tentar recriar as condições do Universo logo após o tão falado Big Bang, fazendo com que as tais partículas fiquem colidindo MUITO rápido, perto da velocidade da luz, o que faz com que a máquina se torne uma espécie de Personal Bigbengueitor Tabajara.

Tudo muito bonito, tudo muito científico mas, como Murphy é, assim como Papai do Céu, onipresente, onipotente e onisciente, pode ser que algo dê errado. Nada demais, pode ser que falte luz, que o Windows trave, ou quem sabe surja um buraco negro em pleno continente Europeu. Coisa pouca, nada pra se preocupar muito.

Por via das dúvidas, vou começar desde já a pedir perdão pelos meus pecados. Vai que existe mesmo essa parada de Céu e Inferno? Minha milhagem é capaz de valer uma passagem de primeira classe lá pra baixo!

4 comentários:

  1. Acabei de ler um post sobre isto!
    Achei interessante..
    Fiquei curiosa pra saber os resultados..
    Mas acho que tem muito de sensacionalismo nisto!
    Mas vá que dá certo, neh?

    ;P

    bjus

    ResponderExcluir
  2. Hahahahahahahahaha... Gostei da possibilidade de surgir um buraco negro europeu... Agora restou a dúvida... Será que preciso rezar tb? hahahahahahahaha

    ResponderExcluir
  3. Eu acho esse treco totalmente desnecessário, prontofalei! xD
    Com tanta coisa mais útil pra gastar dinheiro, vão logo brincar de buracos negros! Dehr!

    []'s

    Musikaholic

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir