Pular para o conteúdo principal

Reclamão Blog

Tudo bem, sei que sou reclamão e mal-humorado mas, cacete, eu TENHO que reclamar de certas coisas na Baixada Fluminense.
Não, não é um lugar bizarro e isolado. Historicamente muito importante, é também uma das regiões mais populosas, só perdendo para a Capital, ficando à frente dos "papa-goiabas" do "outro lado da poça".
Populosa e com cidades grandes, com quase tudo que se encontra nos grandes centros urbanos, desde bons hospitais, shopping centers, boas escolas e faculdades, ótimos centros comerciais e por aí vai. Falam dos problemas com violência e infra-estrutura de alguns bairros, mas, raios, estamos no Brasil. Mesmo na capital paulista,a dita "Locomotiva do Brasil" (O que poderia explicar o fato do país estar indo devagar...), existem tais problemas.
O que me irrita na Baixada Fluminense, na verdade, é a mentalidade. Pombas, é complicado lidar com certas coisas lá. Certas coisas ainda são meio "acaipiradas", acho que não querem mudar tal mentalidade, sei lá. Um exemplo disso são os terminais rodoviários. Em basicamente todos a trilha sonora se resume a Callypso, música evangélica e Forró. Basicamente todas as lojas nesses termiais rodoviários se resumem a lojas de discos e artigos evangélicos (Nao me perguntem o que são artigos evangélicos, mas já vi action figures de personagens da Bíblia).
Outro grave problema é a tal "pressa" que acomete a baixada. Tudo bem que nos grandes centros o povo espera dar uma brecha razoável no trânsito de vias bem movimentadas pra um ou outro atravessarem correndo que nem doidos. Mas na Baixada não, basta dar um espaço mínimo pra uma multidão atravessar, e os motoristas que esperem.
Na baixada existem ótimos shopping-centers, como eu disse antes. Mas, caramba, eles devem ter algum problema com as praças de alimentação, sei lá. Fui em um certa vez em que era complicado transitar pela pela tal praça, visto que as cadeiras eram MUITO próximas umas das outras. E não, não eram soltas, eram fixas e somente giratórias. Fora a louça. Essa parte sim me deixa MUITO irritado. Eu mesmo moro num lugar meio ruim, mas, caramba, restaurantes aqui uilizam pratos de louça e talheres de metal. Nos piores shoppings da capital, os restaurantes de comida à kilo utilizam pratos de louça e talheres de metal, mesmo que você vá comer na praça de alimentação, e não dentro do restaurante. Mas, lá não. Da última vez que fui, e isso tem menos de um mês, os restaurantes só dispunham de pratos de isopor e talheres de plástico. Porra, só em churrasquinho eu uso isso, caramba, não em um shopping center onde eu estou pagando pela comida.
Ah, sim, outra coisa que notei foi que somente lá eu vi em vitrines de joalheria aquelas pulseironas e correntes de aros grossos, tipo as usadas por bicheiros. MÓ VIAGEM!
Mas essa mentalidade meio antiquada me rendeu algumas vantagens. Só assim pra eu achar um professor de karate que ensina como se ensinava antigamente, o que me faz estar na Baixada 3 vezes por semana.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Limítrofe Blog.

Você acorda cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe e você quer um pouco de silêncio em sua vida pois no seu trabalho o telefone toca o tempo todo e em casa você tem vizinhos ouvindo música alta o tempo todo e na frente de casa tem uma porra de um lanterneiro.

E todo o dia a mesma coisa. E todo dia é o Dia da Marmota.

Você já nem aguenta mais ouvir seu n…

Dupliplusbom Blog

De uns tempos pra cá, por algum motivo que desconheço, uma galerinha "dubem" passou a querer controlar o que você diz, faz ou pensa. Tudo isso em nome da bondade, respeito e pluralidade. Oprimem contra a opressão. Censuram pela liberdade. Fazem malabarismos lógicos para taxar como ditaduras aquilo que não gostam e chamar de democracia ditaduras descaradas que compartilham de sua ideologia.

 Quem já leu o romance “1984” de George Orwell vai entender de cara essa questão. Essa galerinha "dubem" utiliza de duas ferramentas linguísticas que Orwell descreveu muito bem em sua distopia: duplipensamento e novilíngua. Basicamente, essas ferramentas visam moldar o pensamento a partir da mentalidade revolucionária e limitar a capacidade de comunicação e expressão dos indivíduos, transformando-os em meros robôs. 
O duplipensamento é o ato de aceitar simultaneamente duas crenças mutualmente contraditórias como corretas. Parece com hipocrisia, mas na verdade a pessoa REALMENTE acr…

Rockinriozístico Blog, parte 1

Ontem fui novamente ao Rock in Rio. Falem o que quiser, mas eu gosto desse programa de índio. E dessa vez o transporte foi até bem facilitado (NADA que se compare ao de 2001, com seus ônibus saindo de inúmeras partes da cidade, incluindo Vigário Geral), não sendo um grande inferno como o de 2013.

Basicamente descemos quase em frente à entrada, num terminal do BRT. Apesar da grande quantidade de pessoas, o fluxo seguia normal. 

A entrada em si demorou, pois havia uma fila pra já garantir a passagem do BRT na volta, a fila da revista e a da bilheteria, mas não foi nenhum absurdo. Demorava mais desviar das inúmeras selfies sendo tiradas. 

Havia, por alguma razão, uma área dedicada aos games e afins, com alguns cosplayers. E nunca escondi meu desprezo por esse tipo. 

Havia muita gente com camiseta do Rock in Rio. No Rock in Rio. Fiquei imaginando que seria um tipo de abadá pra uma micareta. 

Havia uma galera com roupa tipo de motoqueiro americano. Ou aquela galera parecendo punk. Ou metaleiro…