Pular para o conteúdo principal

Folião blog

Fevereiro vem aí e com ele o Carnaval. Nada contra o Carnaval, visto que é um feriadão com mulheres passeando seminuas pela cidade. Como não gostar disso? 
A trilha sonora não me agrada nem um pouco, mas isso eu tenho como resolver indo pra algum lugar onde não role samba ou simplesmente ficando em casa.  Geralmente acabo preferindo ficar em casa mesmo, maaaaas, vez ou outra tem um filme legal passando, daí preciso me deslocar pela cidade. Aí que está o problema.  A cidade fica um verdadeiro inferno, e você é obrigado a cruzar com certas coisas estúpidas, tipo o “Bloco das Piranhas”, por exemplo.
O "Bloco das Piranhas" - Quem não conhece alguém que já usou roupa de mulher? Pior, fica bancando a periguete chata ?  Ficar implicando com desconhecidos, fingindo que vai pegar nos "documentos" dos caras e sendo excessivamente escrachado é escroto. Fora que é meio estranho o cara ficar empolgado  pra se vestir de mulher.

Outro treco idiota é a desculpinha do "Que isso?! É Carnaval!" , usada pra qualquer atitude escrota comum nessa época. O cara passa a mão na mulher do outro e quando se vê prestes a levar uma porrada, dispara "Que isso?! É Carnaval!".

Tá com pressa pra comprar mais uma cerveja e quer furar a fila? "Que isso?! É Carnaval!"

4:00 horas da manhã, fazendo barulho no prédio, falando alto, batucando e enchendo o saco de quem quer dormir? "Que isso?! É Carnaval!"

E assim vai.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Coisificado blog

Sabe como é ter realização profissional? Eu não.
Há um certo tempo venho notando que deixei de ser uma pessoa, o Alexandre Santana, e virei o "rapaz do ponto". Sim, eu cuido da frequência no porto do Rio, em especial da Guarda Portuária. É um trabalho. É digno. É honesto. Mas deixei de ser uma pessoa e me tornei um relógio de ponto. Fui coisificado.
Sim. Na maioria dos dias eu mal chego (07:00) e não ouço bom dia e sim um "Ei, o relógio está com defeito!" ou um "Oi, estou com um probleminha aqui no ponto..." e o pior de todos "Olha, vocês me deram falta aqui (sim, eu fui na frequência de um fdp aleatório e taquei falta, claro...)". 
Eu imagino que na maioria dos empregos realmente seja assim e que eu esteja reclamando de barriga cheia. Pode ser. O problema é que não estou lidando com clientes, e sim com pessoas que trabalham na mesma empresa que eu. Com a grande diferença que estou EFETIVAMENTE trabalhando, diferente da grande maioria.
Foda-se, …

Limítrofe Blog.

Você acorda cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe e você quer um pouco de silêncio em sua vida pois no seu trabalho o telefone toca o tempo todo e em casa você tem vizinhos ouvindo música alta o tempo todo e na frente de casa tem uma porra de um lanterneiro.

E todo o dia a mesma coisa. E todo dia é o Dia da Marmota.

Você já nem aguenta mais ouvir seu n…

Suicida blog

Quero morrer.

Não literalmente. Essa eu aguardo sem muita pressa, mas já sabendo que é inevitável.

É mais uma espécie de "morte figurada", por assim dizer. Aos poucos eu venho matando o Alexandre que foi construído ao longo dos anos e que meio que estacionou. Esse Alexandre já não tem mais muito espaço, esse Alexandre só faz merda e só se afunda.

Esse Alexandre trocou sonhos por segurança. Não que segurança seja ruim, pelo contrário, mas esse Alexandre se acomodou. Muito. Esse Alexandre virou uma pífia sombra daquele Alexandre cheio de sonhos, esperanças e "sangue nos olhos". Sei que aquele Alexandre não volta, ou pode voltar cheio de cicatrizes, mas ESSE Alexandre de hoje em dia precisa morrer.