Pular para o conteúdo principal

Religioso Blog

  Está tomando força aqui no Rio um movimento contra a intolerância religiosa, visto que casos de ignorantes que depredam imagens sacras tanto de igrejas católicas quanto de centros espíritas está aumentando de forma preocupante. Em sua grande maioria são evangélicos que não entendem nada da própria religião que costumam chutar imagens de santos na tv, que dizem que Orixás são manifestações do demônio, que são mais judeus que os judeus (sabe-se lá pq um povo agora cisma de querer falar termos em hebraico) e por aí vai. Não que católicos, espíritas e afins não façam isso, mas pelo menos não veiculam programas em rede nacional fazendo essas burradas. Voltando ao assunto, criou-se um Disque (odeio essa palavra, um dia explico pq) Denúncia contra a intolerância religiosa, e vereadores cariocas estudam medidas para diminuir essa estupidez.
Tudo isso é louvável, mas vieram cá em minha mente ociosa algumas situações que podem ser um tiro no pé desse movimento

1ª situação: Ateus.

A pessoa tem todo direito do mundo em não acreditar que exista um grande jogador de The Sims controlando tudo que acontece no universo ou que cada peido que damos estava em nosso destino.
Mas seguidores de qualquer religião costumam ser bem rudes com quem duvida da existência de Papai do Céu.

Não seria isso um caso de intolerância religiosa?


2ª situação: Satanistas

Assim como alguns adoram Deus, outros adoram Satã, mas não podem se expressar publicamente pois são hostilizados e se você ousar mencionar o ensino do Satanismo em escolas é capaz de ser linchado.

Intolerância religiosa, não?


3ª situação: Pagãos

Há quem prefira seguir deuses nórdicos ou gregos e se denominam pagãos por algum motivo que desconheço, mas eles também tem seus direitos. Melhor pararmos de utilizar a palavra “Mitologia”, ou então chamar qualquer religião de “Mitologia”.

Direitos iguais, não?


Conclusão: É bom ficarmos atentos a partir de hoje e tentarmos ser menos esquentados com religiões alheias! As vezes aquele “Vá para o Diabo que te carregue!” pode ter a mesma intenção de um “Vá com Deus”.




Comentários

  1. Apesar de eu acreditar que há um jogador do The Sims lá em cima, não sigo religião nenhuma. Tenho a minha própria concepção de certo ou errado e me acho no direito de não ser acordada às 08h da manhã num fim de semana, por pessoas tentando me enfiar goela abaixo que a verdade deles é a suprema. Por tanto, Super apoiado!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Limítrofe Blog.

Você acorda cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe e você quer um pouco de silêncio em sua vida pois no seu trabalho o telefone toca o tempo todo e em casa você tem vizinhos ouvindo música alta o tempo todo e na frente de casa tem uma porra de um lanterneiro.

E todo o dia a mesma coisa. E todo dia é o Dia da Marmota.

Você já nem aguenta mais ouvir seu n…

Coisificado blog

Sabe como é ter realização profissional? Eu não.
Há um certo tempo venho notando que deixei de ser uma pessoa, o Alexandre Santana, e virei o "rapaz do ponto". Sim, eu cuido da frequência no porto do Rio, em especial da Guarda Portuária. É um trabalho. É digno. É honesto. Mas deixei de ser uma pessoa e me tornei um relógio de ponto. Fui coisificado.
Sim. Na maioria dos dias eu mal chego (07:00) e não ouço bom dia e sim um "Ei, o relógio está com defeito!" ou um "Oi, estou com um probleminha aqui no ponto..." e o pior de todos "Olha, vocês me deram falta aqui (sim, eu fui na frequência de um fdp aleatório e taquei falta, claro...)". 
Eu imagino que na maioria dos empregos realmente seja assim e que eu esteja reclamando de barriga cheia. Pode ser. O problema é que não estou lidando com clientes, e sim com pessoas que trabalham na mesma empresa que eu. Com a grande diferença que estou EFETIVAMENTE trabalhando, diferente da grande maioria.
Foda-se, …

Suicida blog

Quero morrer.

Não literalmente. Essa eu aguardo sem muita pressa, mas já sabendo que é inevitável.

É mais uma espécie de "morte figurada", por assim dizer. Aos poucos eu venho matando o Alexandre que foi construído ao longo dos anos e que meio que estacionou. Esse Alexandre já não tem mais muito espaço, esse Alexandre só faz merda e só se afunda.

Esse Alexandre trocou sonhos por segurança. Não que segurança seja ruim, pelo contrário, mas esse Alexandre se acomodou. Muito. Esse Alexandre virou uma pífia sombra daquele Alexandre cheio de sonhos, esperanças e "sangue nos olhos". Sei que aquele Alexandre não volta, ou pode voltar cheio de cicatrizes, mas ESSE Alexandre de hoje em dia precisa morrer.