Pular para o conteúdo principal

Desavergonhado blog

Por que é socialmente aceitável ser visto com roupa de banho, mas não com roupa de baixo?

Por que é aceitável que índios apareçam nus na TV, mas não um branco, um negro ou asiático?

Se alguns religiosos dizem que o homem foi feito à imagem e semelhança de um deus, por que esses mesmo religiosos são contra a nudez, sendo contra a imagem deste mesmo deus?


De onde surgiu o tal “tabu da nudez”? Em que momento o ser humano começou a ter vergonha de si mesmo e passou a utilizar as roupas para algo além de se proteger do frio, do sol, de picaduras de insetos e similares? Sim, as roupas também tinham, e tem, o poder de ser um belo ornamento. Mas o que isso tem a ver com a dita “moral”?
Não devia ser tabu, visto que todos nós nascemos nus,as mulheres com umas características e os homens com outras. Se fomos feitos assim, por que tornar uma coisa que pode ser tão bonita num tabu ?
Apreciar o corpo humano nu é aceitável na arte, mas visto como algo sujo por algumas pessoas caso seja em uma revista de nudez erótica.
Em muitas tribos indígenas se vivem nu, não vivem pensando o tempo todo em sacanagens nem nessa coisa chamada pecado ou tabu. Já estive em praias como Abricó e descobri que somos muito mais felizes quando gostamos de nós mesmos e não do que os outros vão achar de nós, do nosso corpo ou da nossa roupa.

Já observou o quanto você economizaria se não tivesse que comprar uma porção de roupas que só vão lhe interessar uma única vez?


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Limítrofe Blog.

Você acorda cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe e você quer um pouco de silêncio em sua vida pois no seu trabalho o telefone toca o tempo todo e em casa você tem vizinhos ouvindo música alta o tempo todo e na frente de casa tem uma porra de um lanterneiro.

E todo o dia a mesma coisa. E todo dia é o Dia da Marmota.

Você já nem aguenta mais ouvir seu n…

Coisificado blog

Sabe como é ter realização profissional? Eu não.
Há um certo tempo venho notando que deixei de ser uma pessoa, o Alexandre Santana, e virei o "rapaz do ponto". Sim, eu cuido da frequência no porto do Rio, em especial da Guarda Portuária. É um trabalho. É digno. É honesto. Mas deixei de ser uma pessoa e me tornei um relógio de ponto. Fui coisificado.
Sim. Na maioria dos dias eu mal chego (07:00) e não ouço bom dia e sim um "Ei, o relógio está com defeito!" ou um "Oi, estou com um probleminha aqui no ponto..." e o pior de todos "Olha, vocês me deram falta aqui (sim, eu fui na frequência de um fdp aleatório e taquei falta, claro...)". 
Eu imagino que na maioria dos empregos realmente seja assim e que eu esteja reclamando de barriga cheia. Pode ser. O problema é que não estou lidando com clientes, e sim com pessoas que trabalham na mesma empresa que eu. Com a grande diferença que estou EFETIVAMENTE trabalhando, diferente da grande maioria.
Foda-se, …

Suicida blog

Quero morrer.

Não literalmente. Essa eu aguardo sem muita pressa, mas já sabendo que é inevitável.

É mais uma espécie de "morte figurada", por assim dizer. Aos poucos eu venho matando o Alexandre que foi construído ao longo dos anos e que meio que estacionou. Esse Alexandre já não tem mais muito espaço, esse Alexandre só faz merda e só se afunda.

Esse Alexandre trocou sonhos por segurança. Não que segurança seja ruim, pelo contrário, mas esse Alexandre se acomodou. Muito. Esse Alexandre virou uma pífia sombra daquele Alexandre cheio de sonhos, esperanças e "sangue nos olhos". Sei que aquele Alexandre não volta, ou pode voltar cheio de cicatrizes, mas ESSE Alexandre de hoje em dia precisa morrer.