Pular para o conteúdo principal

Junk Foodístico Blog

Quando você vai em um praça de alimentação de algum shopping center, as opções não são muitas, não é? As opções normalmente são: Junk-food, comida à quilo, pizza, sushi fajuto, salgados e pastel. Na maioria das vezes, optamos por junk-food, por ser mais rápido e, na sua maioria, mais barato. Aí, as opções que sobram são poucas mesmo! Abaixo a minha lista pessoal de opções:

- Habib's
Esse eu abomino! Além do pedido demorar, quase sempre vem errado.

- KFC
Adoro o sabor, mas o atendimento ficou lerdo e os sandubas diminuiram,  infelizmente só tem em poucos lugares.

-Burger King
Ótimo sabor, tamanho razoável dos sandubas, mas aqui no RJ não rola o Free Refil, o que acho uma sacanagem. O preço elevado era justificado pelo refil, oras.

- Zack’s
ADORO. Mas é muito caro pra comer sempre. :P


- Mc Donald's
Rápido, ótima batata frita, mas todos os sanduíches tem o mesmo gosto.

- Bob's
Leeeeeeerdo. A batata frita é uma grande porcaria. Mas te permite adicionar mais queijo, mais carne, bacon, molho... e ainda por cima fica aquele gostinho de sujeira de chapa, que é o que dá o sabor.

Sendo assim, na maioria das vezes eu acabo comendo ou no Bob's ou no Mc Donald's, o que me rende situações inusitadas.
No Bob's, fico espantado com a lerdeza dos funcionários e com a inacreditável falta de coordenação motora para montar um sanduíche. Ele sempre vem meio torto, como molho pra tudo que é lado. Vai ver contratam pessoas com Parkinson pra montar os sandubas.
Já no Mc Donald's, fico espantado com a filosofia Fordista entranhada na mente dos funcionários. Tudo segue um padrão, até na hora de peidar eles devem seguir uma ordem e fazer os movimentos friamente calculados. Mas é isso que torna interessante o Mc Donald's, a rotina. E, se você tiver paciência, pode até achar divertido fazer surgir uma falha na Matrix. Não entendeu? É simples! No mundo todo os sanduíches são iguais mas, como nós brasileiros não somos muito fãs desse negócio de modelos, projetos e tal, surgem chatos como eu que odeiam tomate em sanduíche. E somos muitos aqui no Brasil. Pois bem, aí eles pra se adaptarem te deram a importantíssima opção de poder retirar a fatia de Mc Tomate do seu sanduba, e ainda por cima fazer com que a caixa do seu sanduba venha com um adesivo escroto, como se estivessem fazendo um favor. Mas, peça qualquer sanduba e solicite que se retire o tomate e, com paciência, observe a revolução que ocorre na loja. O caixa já começa a suar frio e já pede o sanduíche com uma voz meio trêmula. O cara que recebe o pedido já olha espantado e, assim que recebe a carne frita, o pão e o outros ingredientes ele trava, pensando no que fazer com tudo aquilo sem poder seguir a ordem que está acostumado. A Matrix trava, e só volta a funcionar quando um supervisor ou o gerente berram com o montador, que destrava e volta a montar o sanduíche.

Diversão até na hora de pedir o lanche.


Comentários

  1. Aqui em Brasília chegou até rolar patrulha do refil nas redes do Burguer King, com funcionário marcando tempo e tudo. Galera consegue ser meio troll quando se trata de vantagens. Literalmente dar a mão e querer o *. Enfim, nunca parei para ver os fast foods por esse ângulo. Vou tentar um dia desses tirar o tomate do sanduba do Mc, mas é capaz do meu sanduíche se perder em algum buraco negro com a ruptura do espaço-tempo. Parabéns pelo post! :D

    ResponderExcluir
  2. Aqui nem refil rola. Se bem que se rolasse, abusariam tanto ou mais do que aí.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo4:10 PM

    no shopping perto daqui de casa rola refil por 30 minutos no BK, sou do Rio de Janeiro e ainda assim é uma merda, apesar do gosto ser bom, é enjoativo pra caralho e custa quase um órgão no mercado negro pra comer um sanduíche...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Limítrofe Blog.

Você acorda cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe e você quer um pouco de silêncio em sua vida pois no seu trabalho o telefone toca o tempo todo e em casa você tem vizinhos ouvindo música alta o tempo todo e na frente de casa tem uma porra de um lanterneiro.

E todo o dia a mesma coisa. E todo dia é o Dia da Marmota.

Você já nem aguenta mais ouvir seu n…

Dupliplusbom Blog

De uns tempos pra cá, por algum motivo que desconheço, uma galerinha "dubem" passou a querer controlar o que você diz, faz ou pensa. Tudo isso em nome da bondade, respeito e pluralidade. Oprimem contra a opressão. Censuram pela liberdade. Fazem malabarismos lógicos para taxar como ditaduras aquilo que não gostam e chamar de democracia ditaduras descaradas que compartilham de sua ideologia.

 Quem já leu o romance “1984” de George Orwell vai entender de cara essa questão. Essa galerinha "dubem" utiliza de duas ferramentas linguísticas que Orwell descreveu muito bem em sua distopia: duplipensamento e novilíngua. Basicamente, essas ferramentas visam moldar o pensamento a partir da mentalidade revolucionária e limitar a capacidade de comunicação e expressão dos indivíduos, transformando-os em meros robôs. 
O duplipensamento é o ato de aceitar simultaneamente duas crenças mutualmente contraditórias como corretas. Parece com hipocrisia, mas na verdade a pessoa REALMENTE acr…

Rockinriozístico Blog, parte 1

Ontem fui novamente ao Rock in Rio. Falem o que quiser, mas eu gosto desse programa de índio. E dessa vez o transporte foi até bem facilitado (NADA que se compare ao de 2001, com seus ônibus saindo de inúmeras partes da cidade, incluindo Vigário Geral), não sendo um grande inferno como o de 2013.

Basicamente descemos quase em frente à entrada, num terminal do BRT. Apesar da grande quantidade de pessoas, o fluxo seguia normal. 

A entrada em si demorou, pois havia uma fila pra já garantir a passagem do BRT na volta, a fila da revista e a da bilheteria, mas não foi nenhum absurdo. Demorava mais desviar das inúmeras selfies sendo tiradas. 

Havia, por alguma razão, uma área dedicada aos games e afins, com alguns cosplayers. E nunca escondi meu desprezo por esse tipo. 

Havia muita gente com camiseta do Rock in Rio. No Rock in Rio. Fiquei imaginando que seria um tipo de abadá pra uma micareta. 

Havia uma galera com roupa tipo de motoqueiro americano. Ou aquela galera parecendo punk. Ou metaleiro…