Pular para o conteúdo principal

Poltergeist blog


 O simpático bairro da Liberdade era um gueto. Na II Guerra os imigrantes japoneses foram concentrados lá pelo governo, da mesma forma que os italianos foram concentrados no Bixiga, logo ao lado. O bairro se chama "Liberdade" pois antigamente era na praça onde se situa a estação do metrô onde se enforcavam os criminosos, inclusive aquela igreja sinistra na praça se chama Igreja Santa Cruz das Almas dos Enforcados, um nome bem mimoso. 
 Certa vez um cidadão seria enforcado, a corda arrebentou mais de uma vez e a galera achou que fosse milagre. Começaram a berrar "Liberdade!". Não adiantou, o cara foi enforcado e enterrado ali no Cemitério dos Aflitos, de onde só sobrou a capela. 
É, o bairro foi construído em cima de um cemitério. Singelo, não?
Não que o centro do Rio seja menos bizarro. O Beco das Sardinhas, por exemplo, era um cemitério de indigentes. A própria Cinelândia está em cima de um, o cemitério do Convento da Ajuda.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Coisificado blog

Sabe como é ter realização profissional? Eu não.
Há um certo tempo venho notando que deixei de ser uma pessoa, o Alexandre Santana, e virei o "rapaz do ponto". Sim, eu cuido da frequência no porto do Rio, em especial da Guarda Portuária. É um trabalho. É digno. É honesto. Mas deixei de ser uma pessoa e me tornei um relógio de ponto. Fui coisificado.
Sim. Na maioria dos dias eu mal chego (07:00) e não ouço bom dia e sim um "Ei, o relógio está com defeito!" ou um "Oi, estou com um probleminha aqui no ponto..." e o pior de todos "Olha, vocês me deram falta aqui (sim, eu fui na frequência de um fdp aleatório e taquei falta, claro...)". 
Eu imagino que na maioria dos empregos realmente seja assim e que eu esteja reclamando de barriga cheia. Pode ser. O problema é que não estou lidando com clientes, e sim com pessoas que trabalham na mesma empresa que eu. Com a grande diferença que estou EFETIVAMENTE trabalhando, diferente da grande maioria.
Foda-se, …

Limítrofe Blog.

Você acorda cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe e você quer um pouco de silêncio em sua vida pois no seu trabalho o telefone toca o tempo todo e em casa você tem vizinhos ouvindo música alta o tempo todo e na frente de casa tem uma porra de um lanterneiro.

E todo o dia a mesma coisa. E todo dia é o Dia da Marmota.

Você já nem aguenta mais ouvir seu n…

Suicida blog

Quero morrer.

Não literalmente. Essa eu aguardo sem muita pressa, mas já sabendo que é inevitável.

É mais uma espécie de "morte figurada", por assim dizer. Aos poucos eu venho matando o Alexandre que foi construído ao longo dos anos e que meio que estacionou. Esse Alexandre já não tem mais muito espaço, esse Alexandre só faz merda e só se afunda.

Esse Alexandre trocou sonhos por segurança. Não que segurança seja ruim, pelo contrário, mas esse Alexandre se acomodou. Muito. Esse Alexandre virou uma pífia sombra daquele Alexandre cheio de sonhos, esperanças e "sangue nos olhos". Sei que aquele Alexandre não volta, ou pode voltar cheio de cicatrizes, mas ESSE Alexandre de hoje em dia precisa morrer.