Pular para o conteúdo principal

Rockinriozístico Blog, parte 2.

 Dessa vez fui ao Rock in Rio num dia que tinha mais a ver comigo e, ao chegar, vi que não é bem assim.
Desde sempre, show de rock pra mim é com aquela galera que CURTE as bandas que vão tocar, mas muita gente só estava lá because Rock in Rio. Só, apenas. Sério, é um porre ficar desviando de milhares de fotos de grupos, de selfies e poses idiotas. Provavelmente estou mais velho do que minha idade cronológica. Mas curiosamente duas meninas tentaram me beijar. Sei lá o que estava havendo, mas pra muita gente tinha um clima de micareta. Vejamos então minhas impressões:

- Inúmeros cosplayers. Sério, pra que esta merda???

- Gente revirando lixo atrás de copos. Não entendi bem a razão, mas tinha gente colecionando copos. Acho. E nem eram copos fodões, eram copos descartáveis com o símbolo da Heinenken.

- Estava mais cheio que o da semana passada. Meia hora pra andar uns 100 metros.

- Dr. Pheabes & Supla: Nada contra a banda paulistana. Nem nada a favor. Mas Supla? Mano, Supla é de lascar. Caralho, ele compra essas apresentações? Não é possível que alguém efetivamente goste do som do cara.

- De novo o lance do elefante na Rock Street que está parecendo uma África esterotipada. E cheio de cosplayers de zulus. É...

- Republica: Cara, não conhecia. Mas vou acompanhar. Que show bom!

- Flausino e Sideral: Mano, nunca gostei de Jota Quest, sempre achei uma banda bem "bobo alegre". Sideral nunca detestei, mas também nunca me disse nada demais. Mas, caralho, que show o deles. O Rock District ficou minúsculo pra eles cantando Cazuza. Dava muito bem pra ficar no Sunset no lugar do Supla.

- Capital Inicial: É o que eu chamo de banda honesta. Importantíssima pro rock brasileiro, com uma história rica e boas músicas. Levantou o público com um ótimo show e de longe teve o momento mais politizado do Rock in Rio aos colocar todos os políticos no mesmo saco. Gerou ira ao colocar Dilma e Aécio no mesmo saco, e eu adorei.

- Sepultura: Mermão, Sepultura não é banda pro Sunset. É banda pro palco Mundo! Que show do caralho! Tinha gente lá com aquele mimimi de "Ain, não é mais o Sepultura", mas que se foda, os caras são foda e mandam bem. E sabem escolher parcerias!

-The Offspring: Não tenho palavras. Mais uma vez eles fizeram um dos melhores shows da minha vida. Extremamente carismáticos, estavam nitidamente felizes por estarem ali. O Noodles então, estava radiante. E felizmente dessa vez foram pra onde merecem, o palco Mundo.

- 30 Seconds to Mars: Zzzzzzzzzzzzzzzzzz

- Red Hot Chilli Peppers: Muita gente vai me criticar (mentira, ninguém sequer lê isso aqui) mas achei o show bem burocrático. A banda é foda, adoro o som dos caras, já fui num show deles no extinto (e imbatível) Hollywood Rock, mas... sei lá, acho que nem eles mesmos estavam lá muito empolgados.

No final das contas valeu MUITO à pena ter ido lá em Curicica, nem que fosse só pelo The Offspring.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multidão, noite e atividades ao ar livre

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Coisificado blog

Sabe como é ter realização profissional? Eu não.
Há um certo tempo venho notando que deixei de ser uma pessoa, o Alexandre Santana, e virei o "rapaz do ponto". Sim, eu cuido da frequência no porto do Rio, em especial da Guarda Portuária. É um trabalho. É digno. É honesto. Mas deixei de ser uma pessoa e me tornei um relógio de ponto. Fui coisificado.
Sim. Na maioria dos dias eu mal chego (07:00) e não ouço bom dia e sim um "Ei, o relógio está com defeito!" ou um "Oi, estou com um probleminha aqui no ponto..." e o pior de todos "Olha, vocês me deram falta aqui (sim, eu fui na frequência de um fdp aleatório e taquei falta, claro...)". 
Eu imagino que na maioria dos empregos realmente seja assim e que eu esteja reclamando de barriga cheia. Pode ser. O problema é que não estou lidando com clientes, e sim com pessoas que trabalham na mesma empresa que eu. Com a grande diferença que estou EFETIVAMENTE trabalhando, diferente da grande maioria.
Foda-se, …

Limítrofe Blog.

Você acorda cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe.

Você acorda cedo e sai de casa cedo pois pega dois ônibus para ir pro trabalho pois quer ir em relativo silêncio visto que no trem, onde você levaria somente meia hora para chegar ao trabalho, o silêncio é algo que não existe e você quer um pouco de silêncio em sua vida pois no seu trabalho o telefone toca o tempo todo e em casa você tem vizinhos ouvindo música alta o tempo todo e na frente de casa tem uma porra de um lanterneiro.

E todo o dia a mesma coisa. E todo dia é o Dia da Marmota.

Você já nem aguenta mais ouvir seu n…

Suicida blog

Quero morrer.

Não literalmente. Essa eu aguardo sem muita pressa, mas já sabendo que é inevitável.

É mais uma espécie de "morte figurada", por assim dizer. Aos poucos eu venho matando o Alexandre que foi construído ao longo dos anos e que meio que estacionou. Esse Alexandre já não tem mais muito espaço, esse Alexandre só faz merda e só se afunda.

Esse Alexandre trocou sonhos por segurança. Não que segurança seja ruim, pelo contrário, mas esse Alexandre se acomodou. Muito. Esse Alexandre virou uma pífia sombra daquele Alexandre cheio de sonhos, esperanças e "sangue nos olhos". Sei que aquele Alexandre não volta, ou pode voltar cheio de cicatrizes, mas ESSE Alexandre de hoje em dia precisa morrer.